SEENS TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO
+55 (41) 3151-9551

A criptografia do WhatsApp foi furada? Fato ou mito?

Quando você recebe um conteúdo inadequado em uma conversa no WhatsApp, é possível denunciar para o serviço mensageiro. Esse recurso é encontrado no menu do canto superior direito da tela do app. É quando então o WhatsApp tem acesso às mensagens reportadas.

Mas, se o aplicativo de bate-papo afirma possuir criptografia de ponta a ponta (end-to-end, ou E2E), como um terceiro interlocutor tem acesso ao conteúdo das mensagens? Fabio Assolini, especialista da Kaspersky (empresa internacional de segurança virtual), tem explicações a esse respeito.

Assolini diz que, de acordo com os Termos e Condições do WhatsApp, se um usuário denunciar um conteúdo inadequado ou reclamar de alguém, o serviço terá acesso às mensagens recentes. Com isso, muitas pessoas concluíram erroneamente que esta situação anula a criptografia E2E.

Algoritmos completamente diferentes

O especialista afirma que é necessário, primeiramente, distinguir como funcionam a criptografia de ponta a ponta e o botão Denunciar, pois são algoritmos completamente diferentes.

A criptografia de ponta a ponta dá ao usuário e ao destinatário uma chave especial para desbloquear e ler as mensagens. Entretanto, isso não significa que um usuário não pode enviar mensagens privadas de seu chat para outra pessoa sem o conhecimento do interlocutor e vice-versa, lembra Assolini.

Já quando é acionado o botão de denunciar, os moderadores do WhatsApp não têm acesso a todos os dados do usuário, mas sim apenas às mensagens que ele deu permissão ao reportá-las.

Portanto, de acordo com o especialista, está incorreto afirmar que o WhatsApp tem acesso a exatamente cinco mensagens recentes, como andam afirmando. “Nossa conclusão é com base nos Termos e Condições da empresa e não há evidências técnicas para suspeitar de algo diferente”.

Perspectivas realistas

Com relação a preocupações com privacidade, Assolini aponta que nenhum tipo de comunicação online pode ser 100% privada. A presença de criptografia e confiança em um aplicativo são coisas completamente diferentes (e confiar na pessoa com quem você está conversando é uma questão totalmente diferente).

Mesmo o bate-papo mais secreto e protegido pode ser capturado em prints de tela ou de outras formas. Além disso, a criptografia E2E não significa que a outra pessoa na conversa não enviará sua mensagem para terceiros, como foi falado acima.

Dúvidas quanto à criptografia de ponta a ponta no WhatsApp aumentaram também recentemente, por conta de uma denúncia que postamos aqui ontem (08/09). Segundo a ProPublica, o Facebook contrata funcionários em diversas partes do mundo para ler mensagens do WhatsApp e moderar seu conteúdo que, em tese, estaria totalmente privado. Em um comunicado, o Facebook informa que “O WhatsApp fornece uma maneira para as pessoas denunciarem spam ou abuso, o que inclui compartilhar as mensagens mais recentes em um bate-papo”.

via https://olhardigital.com.br/