SEENS TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO
+55 (41) 3151-9551

Acabou a mamata: Google muda regras para armazenamento no Google Fotos

A partir de 1º de junho de 2021 todas as imagens enviadas para o Google Fotos, além de novos documentos criados no Docs, Planilhas ou Apresentações, serão deduzidos do espaço disponível em seu plano

Rafael Rigues 11/11/2020 16h3

Por padrão, cada usuário do Google tem 15 GB de espaço gratuito para armazenar fotos, vídeos, e-mails, documentos e arquivos. Mas alguns itens não contam nesse limite: usuários do Google Fotos, por exemplo, podem armazenar quantas imagens quiserem desde que as enviem convertidas para a qualidade “alta”, em vez dos arquivos originais.

Numa época em que todos nós tiramos dezenas de fotos diariamente, armazená-las online sem nenhuma preocupação com espaço é praticamente como ter uma câmera com “filme infinito”. Segundo o Google se somarmos GMailDrive e Fotos seus usuários armazenam 4,3 Petabytes (4,3 milhões de gigabytes) de dados todo dia.

Mas isso vai mudar em breve. A partir de 1º de julho de 2021 mesmo os envios na qualidade alta serão deduzidos do espaço disponível em sua conta. Vale lembrar que arquivos que já estão armazenados no Google Fotos, ou que forem enviados em qualidade alta até a data limite, não serão considerados. A regra vale apenas para novos envios.

Mesmo com a mudança, o Google estima que 80% dos usuários que enviam imagens na qualidade alta ainda terão pelo menos três anos antes de atingir o limite de 15 GB. Os que atingirem, ou excederem, o limite poderão comprar mais espaço em um dos planos do Google One. Atualmente, um plano de 100 GB custa R$ 6,99 mensais, e também há planos de 200 GB (R$ 9,99) e 2 TB (R$ 34,99).

Além disso, também a partir de 1º de junho de 2021 quaisquer arquivos novos do Docs, Planilhas, Apresentações, Desenhos, Formulários ou Jamboard também serão deduzidos do limite de 15 GB gratuitos, ou limite do seu plano Google One.

Novas regras para contas inativas

O Google também está mudando a política para contas inativas. Novamente a partir de 1º de junho de 2021, contas inativas há dois anos (24 meses) ou mais poderão ter seu conteúdo excluído. O mesmo se aplica para contas que estejam ultrapassando o limite de espaço de seu plano.

Segundo a empresa, os usuários serão notificados “várias vezes” antes que qualquer conteúdo seja removido, para que tenham tempo de agir. A melhor forma de manter a conta ativa é acessar periodicamente o GMail, Drive ou Photos, na web ou em um smartphone, enquanto logado a uma conta Google e conectado à internet. Algo que a maioria de nós já faz naturalmente todos os dias.

O Google recomenda que os usuários leiam sobre o gerenciador de contas inativas para que saibam como adicionar um contato de confiança, que poderá baixar o conteúdo de uma conta em caso de inatividade. Por exemplo, em caso de morte do usuário.

A empresa também recomenda que os usuários acessem o gerenciador de armazenamento do Google One, no app ou na web, para saber o que está ocupando espaço em sua conta e como gerenciar este conteúdo.

Fonte: Google via https://olhardigital.com.br/