SEENS TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO
+55 (41) 3151-9551

Apps e sites facilitam contribuições durante a pandemia; saiba como realizar doações

A situação do coronavírus no Brasil permanece em estado crítico: até a última quinta-feira (8), o país registrou 345.025 mortes pela Covid-19 e 13.279.857 casos confirmados de infectados. Diante da atual crise sanitária, as doações tornaram-se grandes aliadas para minimizar os danos provocados pela pandemia que assola o mundo todo.

E as contribuições não se restringem a quantias em dinheiro. A pandemia de coronavírus agravou problemas como falta de comida, carência de produtos de higiene básica, kits para prevenção da Covid-19 (composto por álcool em gel, máscaras e luvas, por exemplo), além de diversos serviços de atendimento.

Isso significa que independentemente da forma de como a pessoa vá realizar as doações, cada ato filantrópico feito pode auxiliar a frear o número de óbitos no Brasil — estejam eles ligados ou não ao coronavírus.

Felizmente, muitas instituições intensificaram as arrecadações de doações. Algumas delas, inclusive, nem mesmo exigem quantias em dinheiro ou prestações de serviço.

 Se a pandemia de coronavírus foi capaz de despertar a necessidade de auxiliar o próximo, abaixo seguem boas opções de sites e aplicativos que têm facilitado as doações em tempos de pandemia.

Doações “de graça”

As doações pelo Ribon podem ser feitas tanto pelo site quanto pelo aplicativo para dispositivos móveis. E de forma gratuita.

Basicamente, o Ribon abriga projetos abertos por financiadores. Como o montante é captado antes de o projeto ficar aberto para doações, toda a quantia inicial arrecadada é distribuída entre os usuários da plataforma para que possam fazer pequenas doações de forma gratuita — uma espécie de concessão de créditos.

Com isso, alguns usuários podem se interessar pela experiência e, consequentemente, decidir doarem mais dinheiro ao projeto. O resultado é que o investimento inicial pode aumentar em até 60% ao fim do prazo.

Doações por apps

Diversos aplicativos têm aprimorado a arrecadação de doações durante a pandemia de coronavírus.

Os usuários do Picpay, por exemplo, podem acessar a central de doações do aplicativo. É possível consultar diversas causas sociais espalhadas pelo Brasil e as contribuições podem ser feitas com apenas um clique.

iFood também possui uma aba específica para receber doações, localizada nas seções do perfil. As contribuições englobam cestas básicas e refeições prontas. Cerca de R$ 3,9 milhões já foram arrecadados até a última quinta-feira.

Contribua com seu Imposto de Renda

A organização Imposto Solidário permite que o contribuinte doe 3% do seu Imposto de Renda para instituições educacionais. O formato de doações tem potencial para arrecadar cerca de R$ 4 bilhões que podem beneficiar milhares de instituições sociais.

Os interessados podem acessar o site www.impostosolidario.org.br e seguir o passo a passo de como realizar as doações.

Seja voluntário

É possível voluntariar-se mesmo em tempos de distanciamento social. O Atados, por exemplo, permite que os voluntários engajem vizinhos e moradores do bairro e criem pontos de coleta de doações.

Além disso, o site permite contribuições em dinheiro: cada cesta básica é comprada por uma contribuição de R$ 63.

Utilize os canais governamentais

Também é possível utilizar os portais governamentais (federais, estaduais ou municipais) para fazer uma contribuição.

O programa “Todos por Todos” é uma iniciativa do Governo Federal “para estimular o movimento solidário, captando ofertas de serviços à população e propostas de doações aos governos, para o enfrentamento à pandemia do novo coronavírus”.

O portal aceita doações em dinheiro ou mesmo por meio de produtos e serviços oferecidos por empresas.

 

via olhardigital.com.br