SEENS TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO
+55 (41) 3151-9551

Copa 2022 nem começou e cibercriminosos já aplicam golpe com os jogos

A Copa do Mundo 2022 nem começou e pesquisadores da Kaspersky já detectaram os jogos sendo usados como assunto para aplicar golpes.

Entre 15 de agosto e 15 de outubro de 2021, a empresa de cibersegurança detectou 11 mil e-mails fraudulentos usando a edição que ocorrerá somente no ano que vem, no Catar, como isca. Os ataques — de phishing e spam —seguem a tendência do cibercrime, de aparecerem muito próximas de grandes eventos esportivos.

Segundo a Kaspersky, os alvos eram tanto pessoas físicas quanto jurídicas. No caso de indivíduos, mensagens alegavam que eles foram selecionados para participar de um sorteio exclusivo ou para receber um dinheiro que viria de um fundo criado em nome da Copa do Mundo. Para empresas, o golpe era um convite falso em que elas eram convidadas a participarem de uma licitação para se tornarem fornecedores dos jogos de 2022.

Em ambos os casos, é provável que as vítimas precisarão pagar uma taxa para participar do sorteio, que nunca terá um resultado. Em outros golpes analisados pela Kaspersky, as pessoas que preenchessem um formulário e teriam seus dados roubados e havia também spam disseminando arquivos maliciosos anexados.

Copa 2022 também foi utilizada para disseminação de malwares

Além do de golpe, a Kaspersky também identificou e bloqueou 625 tentativas de infecção de malware usando o nome da Copa do Mundo em 2022. A maioria destes ataques (97%) usava documentos Word contendo informações falsas, tentando roubar dados pessoais, enquanto outras usavam AdWare, que produz publicidade invasiva e trojans para roubar senhas e informações de login em diferentes dispositivos.

“Grandes eventos criam muita expectativa e atraem a atenção de muitas pessoas, por isso eles são usados pelos criminosos para disseminar fraudes para coletar informações pessoais ou o dinheiro das vítimas,” afirma Tatyana Shcherbakova, especialista em segurança da Kaspersky.

“E infelizmente estes golpes geram frutos, pois a antecedência com que surgiram golpes deste tipo usando a Copa do Mundo de 2022 comprova isso. Além disso, os criminosos investiram na criação de novas táticas para atrair vítimas mais lucrativas, as empresas patrocinadoras”, completa.

 

via olhardigital.com.br