SEENS TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO
+55 (41) 3151-9551

Covid-19: dose de reforço da vacina é usada para espalhar malware

Golpistas estão usando a recém-anunciada dose de reforço, ou terceira dose, da vacina contra a Covid-19 para espalhar um malware. Até o momento, foram identificadas tentativas de golpes em cidades do interior de São Paulo, como Campinas, Atibaia e Piracicaba. Também foram relatadas tentativas de golpes em Cuiabá, capital do Mato Grosso, e Formiga, no interior de Minas Gerais.

Segundo relatos, as mensagens informam que o destinatário teria sido sorteado para receber a dose de reforço da vacina contra a Covid-19. No e-mail, é dito inclusive que seria possível escolher a marca do imunizante e apresenta um link que redireciona para uma página que seria a da escolha da vacina, ao clicar no link, a vítima imediatamente é infectada pelo malware.

Para dar um ar de legitimidade, o e-mail tem o logotipo do Conecte SUS, que é o sistema que registra todos os atendimentos realizados por um cidadão no Sistema Único de Saúde, incluindo as vacinas, e do Ministério da Saúde. Assim como a primeira etapa de imunização, a dose de reforço será aplicada primeiro em idosos e imunossuprimidos, a previsão é que a nova campanha comece em setembro.

Prefeituras pedem atenção

O Departamento de Vigilância em Saúde de Campinas (Devisa) divulgou um comunicado alertando sobre o uso da dose de reforço para espalhamento de malwares. Segundo o órgão, o e-mail falso tem um número qualquer, que é descrito como o do cartão do SUS da potencial vítima, já que este é um documento que as pessoas dificilmente memorizam o número.

Em Atibaia, a prefeitura também alertou sobre um golpe com as mesmas características, segundo a administração, moradores que já haviam sofrido tentativas de golpes em meados de abril voltaram a receber mensagens falsas. Já em Piracicaba, uma professora relatou ter recebido um e-mail falso, mas ela desconfiou por ser jovem e ter visto no noticiário que a imunização começaria pelos idosos.

Como evitar esses golpes?

O Ministério da Saúde informou que o nome da pasta tem sido usado para o espalhamento de mensagens falsas. O ministério reforçou que, por enquanto, o agendamento das doses de reforço ainda não começou, que a pasta não pede nenhuma informação aos cidadãos e nem envia códigos para os usuários do SUS por e-mail ou qualquer outro canal.

Para evitar cair em golpes desse tipo, é importante ficar sempre alerta ao destinatário dos e-mail, lembrando que, órgãos governamentais não enviam mensagens com códigos aos cidadãos, a não ser para redefinição de senha, mas somente quando esse procedimento é solicitado. Também é importante sempre verificar se os números dos documentos batem com os que são apresentados nos e-mails.

Via: O Estado de S. Paulo CNN Brasil https://olhardigital.com.br/