SEENS TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO
+55 (41) 3151-9551

Imortais: Jeff Bezos e outros bilionários investem em empresa de reprogramação biológica

Uma nova e um tanto misteriosa empresa do Vale do Silício, dedicada à pesquisa antienvelhecimento, está obtendo grande financiamento dos super-ricos. Entre os investidores da Altos Labs, companhia de tecnologia de reprogramação biológica, está o fundador da Amazon e da Blue Origin, Jeff Bezos.

De acordo com a MIT Technology Review, além de Bezos, o russo-israelense Yuri Milner também é outro bilionário atraído pela empresa, que está seduzindo alguns dos maiores cientistas do mundo com promessas de grandes salários e carta branca em suas pesquisas antienvelhecimento.

Ganhador do Nobel de Fisiologia é um dos cientistas da Alto Labs

Juan Carlos Izpisúa Belmonte, biólogo do Salk Institute em La Jolla, Califórnia, está entre os pesquisadores já selecionados pela Altos Labs. Ele causou sensação em 2017, quando começou a pesquisar a criação de uma quimera humana/suína.

Shinya Yamanaka, ganhador do Prêmio Nobel de Fisiologia por sua pesquisa sobre a reversão do envelhecimento nas células, assumirá a presidência do conselho consultivo científico da empresa.

“Embora haja muitos obstáculos a serem superados, há um enorme potencial”, disse Yamanaka ao MIT Technology Review.

Super-ricos como Jeff Bezos estariam interessados na imortalidade?

A reprogramação biológica é um método de rejuvenescimento das células que pode ser a chave para a imortalidade. Embora existam várias startups de reprogramação por aí, nenhuma delas tem o apoio que a Altos Labs já recebeu até agora.

Não seria nenhuma surpresa que Jeff Bezos e outros super-ricos tenham o interesse de tentar viver o maior tempo possível – mesmo que, para isso, tenham que investir muito dinheiro (contrariando a célebre frase do Homem de Ferro que diz que “nenhuma quantia de dinheiro jamais comprou um segundo de tempo”).

Segundo o MIT Technology Review, não haverá metas difíceis ou até mesmo prazos para os pesquisadores desenvolverem seus estudos. Em vez disso, a empresa buscará criar “grande ciência” (seja lá o que isso signifique).

“O objetivo é entender o rejuvenescimento”, disse Manuel Serrano, um ex-pesquisador do Instituto de Pesquisa em Biomedicina da Espanha. Como alguns de seus colegas, Serrano foi atraído quando a Altos Labs ofereceu pagar a ele de cinco a dez vezes mais do que ele ganha atualmente. “Eu diria que a ideia de ter receita no futuro existe, mas não é o objetivo imediato.”

Dessa forma, a Altos Labs ainda é um mistério. E o motivo pelo qual está sendo financiada parece simples: as pessoas não querem morrer. No entanto, o alcance da imortalidade ainda segue sendo um ponto de interrogação. Talvez um ponto de interrogação ainda mais assustador seja quem exatamente terá acesso à imortalidade se e quando ela for desbloqueada?

Com informações do The Byte via https://olhardigital.com.br/