SEENS TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO
+55 (41) 3779-0196

O que é Wi-Fi 6? Conheça a nova geração das redes sem fio

Nova geração do Wi-Fi chega para o consumidor em 2019; saiba o que muda e entenda como fica a compatibilidade

Por Filipe Garrett, para o TechTudo

Wi-Fi 6 é a sexta geração da tecnologia de redes wireless que deve aparecer no mercado a partir de 2019. Adotando um sistema de nomenclatura mais fácil de entender em relação ao nome antigo, que misturava números e letras, como 802.11 ax, a tecnologia promove ganhos de performance e eficiência, prometendo velocidades na faixa dos 12 Gb/s.

Outros recursos também merecem destaque, como ferramentas para reduzir o consumo de energia em celulares e o combate às interferências de rede. Vale lembrar que o Wi-Fi 6 é compatível com dispositivos antigos, desenvolvidos junto a outras gerações wireless.

Comparando com a tecnologia anterior, o Wi-Fi 5 (baseado no 802.11 ac, lançado em 2014), as novas redes de sexta geração apresentam ganhos importantes em performance. Apesar disso, outros avanços eram prometidos em termos de funcionalidades, eficiência e recursos para tornar o uso das redes wireless mais prático e ágil.

Mais velocidade

Wi-Fi 6 traz ganhos de velocidade, mas o principal avanço está na eficiência das redes de sexta geração — Foto: Lucas Mendes/TechTudo

Wi-Fi 6 traz ganhos de velocidade, mas o principal avanço está na eficiência das redes de sexta geração — Foto: Lucas Mendes/TechTudo

O novo Wi-Fi permite velocidades de transferência de até 10 ou 12 Gb/s (gigabits por segundo) para troca de dados entre dispositivos próximos. Para se ter uma ideia, essas taxas representam ganhos de 30 a 40% sobre o desempenho máximo do Wi-Fi 5 (802.11 ac).

Mas nem todo mundo irá usar dispositivos tão próximos uns dos outros, de forma que os ganhos relevantes passem a ser outros. Para uso normal, o novo padrão wireless permite taxas de transferência até aproximadamente 1.201 Mb/s (megabits por segundo), ganho expressivo diante dos 866 Mb/s de máxima da geração anterior.

Essas velocidades são usadas para anunciar produtos, como AC1200, N300 e assim por diante. E, assim como já ocorria nas gerações anteriores, os números representam limites teóricos que dificilmente são vistos no dia a dia. As variações ocorrem por conta da diferença de qualidade entre diferentes dispositivos em uma rede, obstáculos, alcance do sinal, espectro poluído por outras redes, interferências, entre outras variáveis difíceis de controlar e prever.

Outros avanços

Novos roteadores usarão tecnologia para racionalizar a conexão e garantir mais banda para dispositivos com maior demanda — Foto: Luana Marfim/TechTudo

Novos roteadores usarão tecnologia para racionalizar a conexão e garantir mais banda para dispositivos com maior demanda — Foto: Luana Marfim/TechTudo

Como é quase impossível garantir que um roteador Wi-Fi atinja a velocidade máxima para a qual foi desenvolvido, independente da geração do protocolo Wi-Fi em uso, a Wi-Fi Alliance resolveu apostar em eficiência. No novo padrão Wi-Fi, um roteador será capaz de fracionar canais para conversar com até 30 dispositivos diferentes ao mesmo tempo com um único canal. Isso representa um salto expressivo do modelo de um canal por dispositivo, utilizado no Wi-Fi 5. Na prática, isso significa que será possível perceber maior agilidade na rede sem fio.

A tecnologia MU-MIMO, que basicamente permite a troca de informações entre dispositivos de uma mesma rede para reduzir atrasos, também marca presença no Wi-Fi 6. Na nova geração, o MU-MIMO terá suporte a até oito dispositivos diferentes e irá operar em operações de download e upload.

Todas essas melhorias de eficiência são difíceis de quantificar na prática, já que os melhores roteadores e equipamentos de rede terão maior margem para explorá-las do que dispositivos mais em conta. O somatório dessas melhorias deve tornar o Wi-Fi 6 uma tecnologia de rede muito melhor adaptada para ambientes com muitos dispositivos conectados, como é comum atualmente tanto em espaços públicos quanto em residências, por exemplo.

Combatendo interferências

Wi-Fi 6 deve contribuir para celulares e notebooks que consumam menos energia enquanto conectados via Wi-Fi — Foto: Thássius Veloso/TechTudo

Wi-Fi 6 deve contribuir para celulares e notebooks que consumam menos energia enquanto conectados via Wi-Fi — Foto: Thássius Veloso/TechTudo

O Wi-Fi 6 conta com uma tecnologia para prevenir que isso aconteça. Roteadores e outros equipamentos compatíveis com a nova implementação do protocolo usarão uma assinatura chamada de BSS Color, que ajuda a identificar pacotes de informação das diversas redes.

A interferência no Wi-Fi ocorre porque o roteador não consegue separar pacotes de informação que são destinados a ele daqueles que fazem parte de outras redes. Com o recurso, os dispositivos de rede serão capazes de ignorar dados de outras redes, tendo potencial de diminuirsensivelmente a ocorrência de interferências.

Economia de energia

O novo Wi-Fi 6 permitirá a dispositivos que funcionem à bateria, como celulares e notebooks, apliquem uma tecnologia que negocia tempo e volume de informações trocadas com a rede. Dessa forma, o dispositivo ganha mais controle sobre o Wi-Fi e pode colocar o transmissor para hibernar de tempos em tempos, diminuindo de forma expressiva o consumo de energia.

E a compatibilidade?Nova nomenclatura também vai facilitar a busca por dispositivos compatíveis — Foto: Divulgação/Wi-Fi Alliance

Nova nomenclatura também vai facilitar a busca por dispositivos compatíveis — Foto: Divulgação/Wi-Fi Alliance

Vale lembrar que o padrão funciona normalmente com aparelhos de todas as versões anteriores do Wi-Fi. A diferença é que as novidades da sexta geração do Wi-Fi podem não ser perceptíveis em aparelhos que usam padrões wireless de gerações mais antigas.

Fonte: https://www.techtudo.com.br